Produtos Tradicionais Portugueses

Produtos Tradicionais Portugueses

Lampreia – Arroz de Cabidela à Bordalesa

Lampreia – Arroz de Cabidela e Bordalesa

Descrição (dimensões, cor, aroma, textura): Peixe de mais ou menos 80 cm; Cor - cinzento-escuro; Textura – lisa e escorregadia.

Características particulares: Prato produzido pelos exemplares de lampreia provenientes da área geográfica, de entre o Douro e o Tâmega. A espécie só é comestível na época da desova.

Espécies, variedades ou raças: Existem 6 espécies de lampreia em Portugal, esta localizada nesta área geográfica é a Lampreia Marinha.

Informações complementares sobre espécies, variedades, raças: Espécie comestível apenas na altura da desova. A lampreia vive no mar, e na altura entre Janeiro e Maio vem ao rio, à água doce deixar os seus ovos. Percorrer quilómetros contra a corrente, levando a que perca peso e gordura. Nesta altura, depois de desovar é altura ideal para a técnica da apanha da lampreia. Depois da apanha, é necessário estar em água doce corrente cerca de 3 a 4 dias, para que esta perca todo o “lixo” que se encontra junto da suas escamas. Serve também para purificar a carne, uma vez que a alimentação da lampreia não é muito seletiva. É também chamada de “bater da lampreia”… “..a lampreia está bem batida?!” – pergunta frequente na altura da compra dos exemplares.

Delimitação da área geográfica de produção: Região entre o Douro e Tâmega.

Ligação à paisagem natural: Animal característico e abundante na região, proveniente da longa viagem que faz do mar pelo rio Douro e Tâmega a cima.

Ingredientes utilizados: Para Cabidela de lampreia: lampreia média (1 a 2 kg); vinagre de vinho verde tinto; cebola; azeite; sal; pimenta branca; alho; salsa; água; arroz; Para lampreia à Bordalesa: lampreia média (1 a 2 kg); vinagre de vinho verde tinto; cebola; azeite; sal; pimenta branca; alho; salsa; tostas; arroz branco.

Modo de preparação: A sua preparação é iniciada na véspera, escalda-se a lampreia em água a ferver. A seguir raspar levemente com uma faca, limpar com um pano seco a fim de lhe ser retirado o lismo que envolve a pele. Depois de limpa corta-se a cabeça e tira-se um pequeno nervo que tem junto à mesma, dá-se um pequeno golpe na parte superior da lampreia e outro junto ao umbigo a fim de lhe ser extraída a tripa juntamente com o fel. Depois de amanhada, parte-se as postas e junta-se o um dente de alho, um copo de vinagre de vinho tinto, sal, pimenta e o sangue, e deixa-se repousar. No dia da confeção, faz-se um refugado de azeite e cebola. Quando a cebola estiver com uma tonalidade transparente, côa-se o azeite em excesso e rejeita-se. No restante, junta-se o preparado do dia anterior de vinagre tinto e a lampreia e tempera-se com o sal, pimenta branca, alho e salsa a gosto. Deixe refugar lentamente, mais ou menos 30 minutos. Para o arroz de cabidela de lampreia, ao preparado anterior, juntar água quente e deitar o arroz, quanto baste. Para a lampreia á Bordalesa, o refugado está pronto para deitar por cima do pão torrado ou tostas, e serve juntamente com arroz branco.

Saber fazer: O segredo do sabor do prato está na qualidade da lampreia, que deve estar bem batida (para “purificar”) e que deve ser apanhada na altura de janeiro a maio.

Formas de comercialização: É vendido à dose em restaurantes.

Disponibilidade do produto ao longo do ano: De janeiro a maio.

Historial do produto: Chegada a altura do carnaval e depois a páscoa, altura em que o povo cristão faz jejum e abstinência de carne por questões religiosas, foi a partir destas crenças, que levou a que as povoações que moravam perto do rio pescassem mais intensamente nestas alturas. Época de desova das lampreias, este peixe encontra-se me maior quantidade, aproveitando esta característica para se tornar um prato abundante nesta época desde então. Na atualidade, por questões de construção da barragem de Crestuma diminuiu o número de exemplares de lampreia, o que faz aumentar os custos da sua aquisição, e consequentemente da confeção e degustação.

Representatividade na alimentação local: É um dos pratos gastronómico do concelho, o que leva a muitos turistas a procurá-lo nos meses entre janeiro a maio.

Disponibilidade do produto: De janeiro a maio.

lampreia bordalesa
Foto – Apresentação final de Lampreia à Bordalesa

Fonte: Confraria do Anho Assado com Arroz de Forno