Maracujá de São Miguel / Açores DOP

Descrição: O Maracujá dos Açores / S. Miguel DOP é um fruto da espécie Passiflora edulis Sims. (Maracujá roxo), da família das Passifloráceas.

Método de produção: O Maracujá dos Açores / S. Miguel DOP, tratando-se de uma planta trepadora, é conduzido de forma tutorada em latada horizontal. É multiplicado por via seminal. A densidade de plantação definitiva deverá situar-se nas 480 plantas/hectare, salvo nas regiões da ilha mais favoráveis, onde a densidade da plantação se situa nas 105 plantas/hectare. As plantas do Maracujá de São Miguel / Açores DOP são renovadas de três em três anos.

Características particulares: O Maracujá dos Açores / S. Miguel DOP tem uma forma ovóide, com um diâmetro de 5 a 6 cm, com casca coriácea, lisa e brilhante e coloração púrpura uniforme. A polpa é amarela, muito sumarenta, ligeiramente ácida e com pequenas sementes pretas, ovais e achatadas, envolvidas por uma película viscosa e sumarenta de sabor agradável. Apresenta um perfume intenso, forte e característico.

Área de produção: Ilha de São Miguel, do Arquipélago dos Açores, sendo mais predominante na Costa Sul, cujas condições climatéricas são mais favoráveis à cultura.

História: Supõe-se que o Maracujá dos Açores / S. Miguel DOP terá sido introduzido nesta região como consequência dos Descobrimentos portugueses. Contudo, o maracujá é hoje uma planta quase espontânea nos Açores onde, para além da sua utilização como planta ornamental, se consome de variadíssimas formas.

Marca de certificação

Caderno de especificações (pdf)

Área geográfica

Agrupamento de produtores
FRUTAÇOR - Cooperativa Agrícola Açoriana de Hortofruticultura, C. R. L.

Organismo de Controlo e Certificação
Comissão Técnica de Controlo e Certificação - Instituto de Alimentação e Mercados Agrícolas

Publicação  jornal oficial da UE
Regulamento (CE) n.º 1107/96 da Comissão – L148 21.06.1996
Rectificação ao Regulamento (CE) nº 1107/96 da Comissão, de 12 de Junho de 1996 - OJ L290 13.11.1996