Produtos Tradicionais Portugueses

Produtos Tradicionais Portugueses

Pão Doce

Pão Doce

Descrição: Pão doce, de textura macia e sabor a limão e canela. Apresenta uma côdea caraterística de uma cozedura em forno de lenha. 

Características particulares: Pão feito em forno de lenha e amassado 24 h antes da sua cozedura.

Espécies, variedades ou raças: Variedade de pão doce, feita com farinha de trigo, açúcar e ovos.

Ligação à paisagem natural: Produto elaborado com produtos oriundos da agricultura local.

Ingredientes utilizados: Farinha de trigo, fermento, azeite, sal e água.

Modo de preparação: Preparação do crescente - Coloca-se num alguidar alguma farinha, fermento, manteiga e sal. Amassa-se com um pouco de água morna. Deixa-se levedar. Preparação da massa – Junta-se ao preparado anterior farinha, os ovos, açúcar, raspa de limão e canela. Amassa-se tudo muito bem e deixa-se levedar, novamente. No dia seguinte, tendem-se bolos de forma arredondada e deixam-se repousar. De seguida, levam-se ao forno a cozer.

Saber fazer: Este preparado só leva água, quando se faz o crescente, pelo que deve levar ovos em abundância para se poder amassar. As claras devem ser utilizadas, apenas, metade da quantidade dos ovos. Ao colocar no forno, vira-se o bolo ao contrário, para que rache.
Há zonas do concelho que fazem este pão, sem o crescente. 

Formas de comercialização: Nas padarias artesanais.

Disponibilidade do produto: Ao longo de todo o ano.

Historial do produto: É um pão caseiro, que era confecionado em ocasiões festivas.

Representatividade na alimentação local: Não era muito representativo, pois é um produto que ficava caro, pelo que, só era confecionada, em situações especiais de festas ou comemorações familiares.
Hoje em dia, já está a ser comercializado, e tem vindo a dar-se a conhecer, através da nossa Confraria, em eventos culturais, sendo bastante apreciado.

Disponibilidade do produto: Oferta contínua.

Outras designações: Pão de 24 h.

Área geográfica de produção: Concelho de Vagos.

Fonte: Confraria Gastronómica As Saínhas de Vagos