Produtos Tradicionais Portugueses

Produtos Tradicionais Portugueses

Bolo Folar da Guarda

Bolo Folar da Guarda

Descrição: Bolo feito à base de farinha de trigo e ovos. Tem como ingredientes farinha, ovos, fermento de padeiro, aguardente, azeite, ácido ascórbico, sal e água. É fabricado com 0,5 kg, 1 kg, 1,5 kg e 2 kg e, portanto, com tamanhos diferenciados:

                    comprimento (cm)    largura (cm)
grande             45 a 55                     45 a 55
médio              30 a 35                     10 a 12
pequeno        20 a 25                        8 a 10

Região: Centro.

Particularidade: Bolo que pode apresentar-se com três tamanhos diferentes e tem forma comprida e com dobra. Quando cortado às fatias, estas apresentam a forma de um coração imperfeito.

História: Este bolo folar é outra variante da prenda geralmente oferecida pelos padrinhos aos seus afilhados na época da Páscoa, para além do Pão de Santoro. Num livro de memórias refere-se: «Os padrinhos dão sempre aos seus afilhados bolos de ovos... acontecendo esta tradição por todo o distrito da Guarda». Também Aquilino Ribeiro vai ao encontro desta tradição, afirmando ‹‹... sobre a arca atoalhada do mais puro linho apresenta-se o folar...».

Uso: Como alimento, sobretudo de índole regional, pois deve ser consumido antes de decorridas 48 h após o seu fabrico.

Saber fazer: Nesta região o pão é principalmente de milho ou de centeio. Em tempos antigos, a farinha de trigo era sobretudo utilizada no fabrico de bolos. O bolo folar é um bolo que tem também tradições de panificação. Misturam-se os ingredientes e amassam-se com água durante bastante tempo para se obter uma massa bastante elástica; tapa-se o recipiente da amassadura e coloca-se em local quente. Seguidamente deixa-se levedar e tendem-se bolos que se colocam em tabuleiros para fintarem (levedarem) e que vão depois a cozer em forno de lenha, como o pão. Ao tender, fazem-se bolos compridos e com uma dobra, o que vai conferir às fatias a sua forma característica — um coração imperfeito. Podem ser pincelados com ovo. A temperatura do forno, que deve ser de 250 °C, tem muita influência no aspeto final do produto.

Fonte: Produtos Tradicionais Portugueses, Lisboa, DGDR, 2001