Produtos Tradicionais Portugueses

Produtos Tradicionais Portugueses

Papas de Moado Vila Verde

Papas de Moado Vila Verde

 Descrição:

Delimitação da área geográfica de produção: Vila Verde – Figueira da Foz.

Ingredientes utilizados: Água; farinha; açúcar; sangue; cravinho; cominhos; sal; limões.

Modo de preparação: Para cada quilo de farinha, utiliza-se seis litros de água. Nesta receita, as medidas são para três quilos de farinha. Entra esta no tacho, peneirada, juntamente com o sal e com os dezoito litros de água. Envolve-se bem com as mãos e acrescenta-se quatro quilos de açúcar, as especiarias em pó, a gosto, e dois litros de sangue. Depois de bem envolvido, leva-se ao lume. Para a fogueira, a lenha ideal é a da acácia, pois não deita muito fumo. Mas também se pode utilizar eucalipto e pinho. Deve ser partida em pedaços pequenos, para o lume ser brando. Continua a mexer-se com a mão até levantar fervura. Nessa altura, utiliza-se a colher de pau e deixa-se cozer, mexendo regularmente, cerca de três horas e meia, com dois limões inteiros no preparado. Para verificar de se estão cozidas, coloca-se um pouco no prato. Leva-se à rua, passa-se um dedo e se levantarem, se descolarem, estão prontas. São colocadas em pratos não demasiado fundos.

Formas de comercialização: Coletividades fazem as papas para comercializar.
Por norma não está disponível. Algumas têm frutos secos. E o sabor de cominhos que é muito intenso.

Disponibilidade do produto ao longo do ano: Nas épocas festivas.

Historial do produto: Verdadeiramente único é este prato que apenas se conhece no concelho da Figueira da Foz. As Papas de moado, confeccionadas com ligeiras variações nas diferentes freguesias, são o que de mais emblemático e genuíno se pode encontrar na gastronomia tradicional figueirense. Uma sobremesa, um verdadeiro manjar para os seus apreciadores que, antigamente, as comiam com as mãos e afiançam, não deixavam vestígios de sujidade. Como terá surgido esta ideia de acrescentar a umas vulgares papas de farinha e sangue, o açúcar? A pergunta não encontrou resposta. Certo é que em cada uma das povoações, a sua defesa é inegável e todos consideram ter a melhor versão e a mais fidedigna.

Fonte: Federação Portuguesa das Confrarias Gastronómicas