Produtos Tradicionais Portugueses

Produtos Tradicionais Portugueses

Bolo Real

Bolo Real

Descrição: Bolo confecionado à base de gemas, açúcar, amêndoa e doce de gila (chila).

Características particulares: Doce conventual com acentuado sabor a amêndoa e a chila.

Região: Alentejo.

Ingredientes utilizados: Gemas de ovos, açúcar, amêndoa e doce de gila (chila).

Modo de preparação: Num tacho leva‑se ao lume o açúcar e a água até atingir um ponto de açúcar fraco; de seguida mistura‑se a amêndoa e mexe‑se até atingir ponto de estrada. Deixa‑se arrefecer um pouco e misturam‑se as gemas devidamente passadas pelo passador. Deixa‑se repousar a massa de um dia para o outro e leva‑se ao forno em forma untada e forrada com papel vegetal. Na forma coloca‑se metade da massa e por cima uma camada de gila fininha, cobrindo com a restante massa e leva‑se ao forno. Depois de cozido e frio cobre‑se o bolo com fondant, por cima leva uma camada de gila. Por fim, uma coroa em pérolas e fios de ovos a decorar.

Saber fazer: As receitas, segredos bem guardados pelas freiras, foram sendo reveladas ao longo do tempo.

Formas de comercialização: Confeitarias.

Disponibilidade do produto ao longo do ano: Durante todo o ano.

Historial do produto: No concelho de Viana do Alentejo são vários os doces conventuais que marcam a sua identidade. Segundo alguns registos, já no século XV doces como a Enxovalhada, o Bolo Real e o Bolo Conde de Alcáçovas eram conhecidos e apreciados e ainda hoje são confecionados de forma tradicional. A localização do Convento de Jesus foi muito importante para a doçaria. Na produção de vinho usavam‑se claras de ovos para aclarar o vinho e doavam-se, às centenas, as gemas às freiras, que as aproveitavam para a criação de vários doces, entre eles o Bolo Real.

Representatividade na alimentação local: Bolo típico das quadras festivas no Alentejo.

Fonte: DGADR, com base no Receitas e Sabores dos Territórios Rurais, MINHA TERRA, 2013 e em "Cozinha Tradicional Portuguesa", Maria De Lourdes Modesto, 1982, Verbo Editora.

Foto: Cedida pela MINHA TERRA – Federação Portuguesa de Associações de Desenvolvimento Local.