Produtos Tradicionais Portugueses

Produtos Tradicionais Portugueses

Malassadas

Malassadas

Descrição: A massa deste doce frito é muito leve devido à sua técnica de preparação: bem amassada ou sovada, num alguidar de barro. São constituídas por uma massa de farinha, ovos batidos, açúcar, leite e fermento de padeiro. Após serem fritas em óleo bem quente, servem-se polvilhadas com açúcar e canela ou uma calda de açúcar.

Região: Região Autónoma dos Açores.

Outras denominações: Mal-Assadas. Melassadas.

Particularidade: Bolos fritos, com uma forma cilíndrica e um buraco ao meio.

História: As Malassadas são uma especialidade micaelense, própria da época carnavalesca. Existem referências a estes fritos em Augusto Gomes e num artigo de Carreiro da Costa. Acerca do seu nome existem duas versões: segundo uns deveriam chamar-se Melassadas porque antigamente entrava na sua composição melaço de cana, sendo neste caso a grafia mais correta a de Melaçadas. Outros, versão que parece mais certa, defendem que o nome Malassadas tem origem no processo de fabrico do doce. Também no cancioneiro tradicional do Carnaval há referência às Malassadas: «As filozes que nos puseres / Trazei-as numa razoila / Que a gente há-de se pôr nelas / Que nem porcos em papoila.»

Uso: Comem-se e oferecem-se a pessoas amigas durante a época do Carnaval. Nos bailes e assaltos do Carnaval serviam-se sempre Malassadas. O Dr. Carreiro da Costa, no artigo já mencionado, refere: «... nas cidades e nas vilas são os aparatosos presentes de malassadas e sonhos um costume muito em voga». Atualmente ainda se continua a servir Malassadas durante as festas de Carnaval, na ilha de S. Miguel.

Saber fazer: Mistura-se a farinha peneirada com o açúcar, faz-se um buraco ao meio, junta-se fermento diluído em leite, ovos batidos e amassa-se bem, juntando aos poucos o leite necessário para se obter uma massa branda. Vai a levedar, tendendo-se depois pedaços de massa que se esticam com os dedos, dando-lhes a forma desejada, após o que se fritam. Depois da fritura, polvilham-se com açúcar e canela.

Fonte: Produtos Tradicionais Portugueses, Lisboa, DGDR, 2001