Produtos Tradicionais Portugueses

Produtos Tradicionais Portugueses

Butelo de Vinhais / Bucho de Vinhais / Chouriço de Ossos de Vinhais IGP

Butelo de Vinhais / Bucho de Vinhais / Chouriço de Ossos de Vinhais IGP

Descrição: O Butelo de Vinhais IGP é um enchido produzido a partir de carne, gordura, osso e cartilagem provenientes das costelas e coluna vertebral de porcos da raça Bísara ou com 50% de sangue Bísaro. A carne é temperada com alho, colorau, louro, vinho, água e sal. A sua cor varia entre do amarelo, o avermelhado e o castanho-escuro. Pode ser redondo, oval ou cilíndrico. Pesa entre 1 a 2 kg e tem 10 a 15 cm de diâmetro. Tem um sabor agradável e distinto e um aroma fumado persistente.

Método de produção: As carnes com ossos e as cartilagens são cortadas em pequenos pedaços e colocadas num recipiente onde são temperadas. Esta mistura — conhecida por adoba — repousa durante um a três dias. Após os últi-mos acertos na condimentação procede-se ao enchimento em tripa grossa, estômago ou bexiga previamente cosidos ou atados com fio de algodão numa das extremidades, sendo a outra atada depois das “carnes” estarem bem compactadas. De seguida realiza-se a fumagem em fogo brando, com lenha de carvalho ou castanho, durante pelo menos 15 dias, à qual se segue um período de cura, em locais frescos.

Características particulares: São vários os fatores que influenciam a qualidade e sabor único do Butelo de Vinhais IGP, tais como a alimentação dos porcos, o método de produção utilizado, a fumagem lenta que permite a selagem dos aromas ou a cura em ambiente fresco e seco.

Área de produção: A área de nascimento, cria, recria, abate e desmancha dos porcos usados na produção de Butelo de Vinhais IGP engloba os distritos de Bragança e de Vila Real. A área geográfica de transformação engloba apenas o distrito de Bragança.

História: A história do Butelo de Vinhais IGP está intimamente ligada à importância que a criação de suínos na região assumiu desde tempos imemoriais, de que são testemunho as inúmeras estátuas e monólitos evocativas des-sa criação espalhados por toda a região, bem como os muitos registros escritos em arquivos municipais relativas à tributação de suínos e de produtos deles oriundos.

Marca de certificação
marca butelo vinhais
Caderno de especificações (pdf)

Área geográfica

Agrupamento de produtores
ANCSUB - Associação Nacional de Criadores de Suínos da Raça Bísara

Organismo de controlo e certificação
TRADIÇÃO E QUALIDADE - Assoc. Interprof. Produtos Agro-Alimentares de Trás-os-Montes

Publicações no Jornal Oficial da UE
Regulamento (CE) n.º 723/2008 da Comissão – L198/28 – 26.07.2008
Publicação do pedido de registo (2007/C 268/16) – C268/36 – 10.11.2007

Publicação em DR
Aviso n.º 13707/2014, de 09.12.2014
Despacho n.º 16840/2005, de 04.08.2005
Aviso n.º 3274/2005, de 30.03.2005
Aviso n.º 453/2002, de 15.01.2002

Padrão da Raça Suína Bísara: Conforme definido no Regulamento do Livro Genealógico os suínos da Raça Bísara caracterizam-se morfologicamente do seguinte modo:

Bisaro 1Aspeto geral — Animais grandes, chegam a atingir 1 m de altura e 1,5 m desde a nuca à raiz da cauda;
Pelagem — Branca, preta ou malhada; pele geralmente grossa e as cerdas normalmente compridas, grossas e abundantes;
Cabeça — Grossa e de perfil côncavo; crista occipital dirigida para diante, tromba espessa e comprida, boca grande. Orelhas compridas, largas e pendentes, sem contudo cobrirem os olhos. Face pouco desenvolvida e papada reduzida;
Pescoço — Comprido e regularmente musculado;
Tronco — Tórax alto, achatado e pouco profundo, com costelas compridas e pouco arqueadas Dorso comprido, linha dorso-lombar convexa. Ventre esgalgado, com dez tetos ou mais. Flanco largo e pouco descido. Garupa de bom comprimento mas estreita, descaída e pouco musculada. Cauda de média inserção e grossa;
Bisaro 2Membros — De regular aprumo, compridos, ossudos e pouco musculados. Pés bem desenvolvidos mas brandos.

Fontes:
ANCSUB – Associação Nacional de Criadores de Suínos de Raça Bísara
Agroquisa – Ciências para a Qualidade de Vida
Ruralbit – Fotografias de Raças Autóctones