Queijo de Évora DOP

Descrição: O queijo de Évora DOP é fabricado obtido a partir de leite cru de ovelha, da raça regional Merina Branca. Trata-se de um queijo curado, de pasta dura ou semi-dura e cor amarelada.

Método de produção: Para a obtenção do queijo de Évora DOP ocorre, inicialmente, a filtração do leite com panos previamente salgados.
Posteriormente, o leite é aquecido a lume de lenha e adiciona-se o cardo vegetal (Cynara cardunculus L.).
Coloca-se a repousar durante 20 a 40 minutos e remove-se o soro da coalhada.
De seguida, inicia-se o processo de maturação, que corresponde a 30 dias para os queijos de pasta semi-dura e a 90 para os de dura. Ambos armazenados à temperatura de 8 a 15 ⁰C e a humidade relativa de 80 a 95%.

Características particulares: O queijo de Évora DOP pode apresentar-se em diferentes formato, nomeadamente:
- “pequeno”, de pasta dura, com diâmetro de 6 a 8 cm e peso de 60 a 90 g;
- “merendeira”, de pasta dura, com 12 a 14 cm e peso de 120 a 200 g;
- “merendeira”, de pasta semi-dura, com diâmetro de 13 a 15 cm e peso de 200 a 300 g.
Possui um sabor e aroma característicos, ligeiramente picante e ácido, mais acentuado nos queijos de pasta dura.

Área de produção: A área geográfica de produção abrange os concelhos de Alandroal, Arraiolos, Avis, Borba, Estremoz, Évora, Fronteira, Montemor-o-Novo, Mourão, Portel, Redondo, Reguengos de Monsaraz, Sousel, Vendas Novas, Viana do Alentejo e Vila Viçosa, no distrito de Évora.

História: O queijo de Évora DOP faz parte da mais antiga tradição queijeira do Alentejo, contribuindo para alargar o consumo do leite de ovelha, largamente produzido na região.
De grande importância na alimentação diária, sobretudo nas classes mais pobres, cujos salários eram pagos em queijos e outros géneros alimentícios.

Caderno de especificações (pdf)

Área geográfica

Agrupamento de produtores
Cooperativa Ovina de Évora C.R.L

Organismo de controlo e certificação
Certialentejo, Certificação de Produtos Agrícolas Lda

Publicação jornal oficial UE
Reg. (CE) n.º 1107/96 - L148 21.06.1996

Publicação em DR
Aviso (extracto) n.º 4173-C/2005 (2ª série), de 19 de abril 
Aviso n.º 7546/2004 (2ª série), de 16 de julho 
Aviso n.º 4581/2000 (2ª série), de 11 de março 
Aviso n.º 4579/2000 (2ª série), de 11 de março 
Aviso n.º 10750/98 (2ª série), de 25 de junho 
Aviso n.º 10233/98 (2ª série), de 26 de junho 
Aviso de 04 de fevereiro de 1994
Despacho n.º 29/94, de 04 de fevereiro

Merino Branco 1 rdPadrão da Raça Ovina Merina Branca: De acordo com o definido no Regulamento do Livro Genealógico, o ovino Merino Branco é um animal com as seguintes características:

Aspecto Geral — animal de tamanho médio, eumétrico e mediolíneo, de cor branca;
Pele, velo e lã — pele fina, untuosa e sem pigmentação. Velo muito extenso e tochado, com madeixas cilíndricas ou quadradas. Regularmente homogéneo, recobre a cabeça, todo o pescoço, o ventre, os membros quase até às unhas e os testículos;
Cabeça — De tamanho médio, larga e curta. Perfil craniano sub-convexo. Chanfro reto nas fêmeas, mais ou menos reto convexo nos machos. Boca grande, com lábios grossos. Olhos grandes e expressivos, com arcadas orbitais não muito salientes. Orelhas pequenas e horizontais. Cornos ausentes nas fêmeas, mas frequentes nos machos, enrolados em espiral mais ou menos fechada, rugosos e de secção triangular. Bem revestida de lã, a qual recobre por vezes, parte das faces e do frontal;
Pescoço — Curto e bem revestido de lã. Por vezes, uma pequena barbela. Em geral, sem pregas;
Tronco — De volume mediano. Garrote pouco destacado, seguido duma linha dorsolombar horizontal. Espádua regularmente proporcionada e desenvolvida. Costado medianamente arqueado. Ventre desenvolvido. Dorso e rins de comprimento e largura médios. Garupa curta e ligeiramente descaída. No seu conjunto, o tronco apresenta um todo harmonioso;
Úbere — Largo e bem inserido, com tetos curtos mas bem implantados;
Membros — Fortes e regularmente aprumados. Curvilhões grossos, tal como as restantes articulações. Revestimento lanar, em geral, abaixo dos joelhos e dos curvilhões;
Peso vivo — adulto: Machos – 75 a 90 kg; Fêmeas – 45 a 60 kg.

Fontes:
ANCORME – Associação Nacional de Criadores de Ovinos de Raça Merina
Sociedade Portuguesa de Ovinotecnia e Caprinotecnia