Produtos Tradicionais Portugueses

Produtos Tradicionais Portugueses

Queijo do Pico DOP

Queijo do Pico DOP

Descrição: O queijo do Pico DOP é obtido a partir de leite cru de vaca. Trata-se de um queijo curado, de pasta semi-mole amanteigada e cor branca amarelada.

Método de produção: O leite cru é coalhado com coalho animal à temperatura de 26 a 27 ºC e deixado a repousar durante 45 a 60 minutos.
De seguida efectua-se o corte, obtendo-se pequenos cubos se coalha, que serão filtrados com panos finos, para remover o restante soro.
Após o enchimento dos cinchos com a massa resultante e simultânea moldagem e prensagem manual, procede-se à salga, nas duas superfícies do queijo.
A maturação ocorre à temperatura de 15 a 17 °C e humidade relativa de 75-85%, durante um período de 17-30 dias.

Características particulares: Para a produção do queijo do Pico DOP é utilizado leite proveniente de vacas leiteiras criadas em regime extensivo, com acesso a várias culturas como o azevém, a erva castelhana, o trevão e o incenso.
Em relação ao produto, este possui entre 16 a 17 cm de diâmetro e entre 700 a 800 g de peso.
O seu sabor é salgado e intenso, com agradável aroma.

Área de produção: A área geográfica de produção é restrita à ilha do Pico, no arquipélago dos Açores.

História: Relatos provenientes de moradores da ilha concluíram que o Queijo do Pico DOP já era produzido nos finais do século XVIII, sendo o principal meio de sobrevivência dos habitantes.
No entanto, as suas primeiras referências oficiais aconteceram em 1867 e 1877, registando-se, assim, a importância da sua produção para o sustento da região.
Graças aos povoadores os seus métodos de fabrico têm permanecido praticamente inalterados ao longo dos séculos.

Caderno de especificações (pdf)

Área geográfica

Agrupamento de produtores
Associação de Produtores de Queijo do Pico Ribeira do Meio

pico1

Organismo de controlo e certificação
IAMA-Instituto de Alimentação e Mercados Agrícolas

Publicação jornal oficial UE
Reg. (CE) n.º 1265/98 - L175 19.06.1998

Publicação em DR
Despacho n.º 32/1996/SRAP (2ª série) 29.10.1996