Produtos Tradicionais Portugueses

Produtos Tradicionais Portugueses

Amêndoa do Algarve

Amêndoa do Algarve

Descrição: As amêndoas podem ser durázias ou de casca dura (as mais vulgares), molares (possuem um caroço frágil) e as cocas, cuja casca se parte com os dedos. A amêndoa é uma drupa proveniente de um híbrido de A. bucharica e A. fenziliana. Apresenta, mais vulgarmente, as seguintes dimensões: 30 mm de comprimento por 20 mm de largura e 15 mm de espessura. O miolo representa cerca de 25% do peso da amêndoa e pesa aproximadamente 1,5 g.

Região: Algarve.

Particularidade: Fruto seco, em casca ou miolo.

História: A história mítica de Portugal anda em grande parte ligada aos amendoais. São bem conhecidas as histórias de princesas nórdicas que, raptadas ou vindas de livre vontade para Portugal, definham por falta das suas neves natais e de como os estimados consortes plantam ocultamente amendoais para que, na altura da floração (janeiro/fevereiro), elas se julguem rodeadas de neve devido ao branco rosado das suas flores. A introdução da amendoeira está documentada a partir do século XII e terá sido introduzida pelos Árabes. A cultura em Portugal definiu-se em dois pólos distintos — o Duriense e o Algarvio. É no século XVI e XVII que a amêndoa algarvia começa a ser exportada, principalmente para Inglaterra. É de referir que o mercado belga cotava a amêndoa algarvia a preços superiores, denominando-a Faro's almonds.

Uso: A amêndoa (ou seja, o miolo da amêndoa) é consumida como aperitivo, ao natural, salgada ou torrada. Pode também ser consumida coberta de açúcar ou de chocolate. Entra também na maior parte da doçaria regional. É usada na indústria farmacêutica e cosmética.

Saber fazer: O amendoal algarvio é explorado de forma livre, não existindo o pomar único de amendoeiras. O pomar de amendoeira é, no geral, constituído por árvores dispersas e consociadas com alfarrobeira, figueira e oliveira, em regime de sequeiro. A enxertia, que é feita em amendoeira amarga, tem de ser feita muito alta e com eliminação dos ramos inferiores à enxertia. O tempo útil de vida da árvore chega a atingir os cinquenta anos. A colheita da amêndoa decorre nos meses de julho e agosto.

Fonte: Produtos Tradicionais Portugueses, Lisboa, DGDR, 2001