Maçã Riscadinha de Palmela DOP

Descrição: Designa-se por Maçã Riscadinha de Palmela, a maçã da variedade Riscadinha pertencente à família Rosaceae, género Malus Miller e à espécie Malus domestica Borkh obtidas na região delimitada , sendo que se destina ao consumo em fresco, inteira e não descascada. Só podem qualificar-se como Maçã Riscadinha de Palmela as maçãs que possam ser classificadas nas categorias «Extra», I e II, sendo 60 mm o calibre mínimo admitido.

Método de produção: Palmela é conhecida como o solar da maçã Riscadinha, sendo a notoriedade deste produto, amplamente enraizado no mercado. As especificidades do clima e do solo da área geográfica delimitada refletem-se nas características da maçã. O microclima resultante da proximidade do oceano atlântico, dos rios Tejo e Sado e da orografia da Serra da Arrábida, bem como a elevada insolação são fundamentais para a intensidade da coloração das riscas vermelhas que caraterizam o produto.
Os fatores humanos da região são decisivos para as características que a Maçã Riscadinha de Palmela apresenta na região, através do saber-fazer das pessoas no que diz respeito à condução, execução da poda bem como na determinação do estado de maturação ideal que os frutos devem apresentar aquando do momento da colheita, havendo a necessidade do seu escalonamento pois os frutos não apresentam simultaneamente o mesmo grau de maturação. A identificação do ponto ótimo de colheita é determinante para a obtenção da coloração da epiderme que caracteriza o produto.

Características particulares: A Maçã Riscadinha de Palmela distingue-se pela sua forma achatada irregular, a presença de riscas vermelhas sobre uma epiderme de cor verde-amarelada e carepa na fossa peduncular, sendo que os frutos produzidos dentro da área geográfica delimitada apresentam riscas mais intensas. A polpa da Maçã Riscadinha de Palmela é esverdeada, doce e acidulada, muito sucosa e aromática; por vezes apresenta manchas translúcidas (e nesse caso diz-se «azeitada»), característica menos frequente nos frutos obtidos noutras regiões.

Área de produção: A área geográfica delimitada da produção está, do ponto de vista administrativo, naturalmente circunscrita às freguesias de Canha, Santo Isidro de Pegões, do concelho de Montijo, às freguesias de Marateca, Palmela, Pinhal Novo, Poceirão e Quinta do Anjo, do concelho de Palmela, bem como às freguesias de Gâmbia-Pontes e Alto da Guerra e S. Sebastião, do concelho de Setúbal.

História: A variedade de macieira Riscadinha terá surgido no século XIX, no lugar de Barris, concelho de Palmela. A partir dos anos 20, do século passado, com o corte dos matos, a cultura da vinha em consociação com macieira expandiu-se para a zona do Lau e Algeruz, o que também levou a um aumento da produção de Maçã Riscadinha de Palmela. Foi nesta zona que a Maçã Riscadinha de Palmela se começou a evidenciar, pela sua adaptação ao local e pelas qualidades organolépticas. Com a redução da exportação para Inglaterra da Maçã Espelho, a Maçã Riscadinha Palmela começou a sobrepor-se, pelas suas características gustativas, que é mais ácida.
A Maçã Riscadinha de Palmela é um dos ex-libris da região, sendo conhecida pelo seu excelente e característico sabor, pela sua utilização para perfumar as casas, devido ao seu intenso e inconfundível aroma bem como pela sua larga inclusão no receituário gastronómico regional.
A toponímia é também prova da forte ligação da Maçã Riscadinha de Palmela à região e da importância que este produto assume na identificação do seu povo, existindo no concelho de Palmela duas ruas com o nome de Maçã Riscadinha, uma na freguesia de Palmela e outra na do Pinhal Novo.

Caderno de especificações (pdf)
maca risc palmela1

Área geográfica

Agrupamento de produtores
Cooperativa Agrícola de Palmela

Organismo de controlo e certificação
SATIVA - Desenvolvimento Rural, Lda

Publicações no Jornal Oficial da UE
JOUE C85 23.03.2013
JOUE L310 20.11.2013

Publicação em DR
Despacho n.º 4836/2011, 18 de março
Aviso n.º 4951/2011, 18 fevereiro