Azeites do Alentejo Interior DOP

Descrição: Azeite virgem extra e azeite virgem produzido mecanicamente a partir das variedades de azeitona Galega Vulgar (60%), Cordovil de Serpa e/ou Cobrançosa, presentes, no máximo de 40%.
São toleradas outras variedades, num máximo de 5%, com a exceção das variedades Picual e Maçanilha.

Método de produção: O Azeite é extraído pelo processo de prensagem, ou pelo processo de centrifugação. O processamento da azeitona é determinado pela sua qualidade, sendo a de superior qualidade processada em primeiro lugar.
Após o processo de moagem, a pasta é batida a uma temperatura máxima de 30 ºC, de modo a facilitar a extração do azeite e a conservação do aroma original.
Na etapa seguinte, da separação de fase, a pressão máxima utilizada é de 50 atm, não excedendo os 30 ºC.
Posteriormente, o azeite é armazenado em depósitos à temperatura controlada de 16 a 17 ºC.

Características particulares: Este azeite apresenta uma cor amarela dourada ou esverdeada. Conjuga diversos sabores e aromas provenientes das variedades que lhe dão origem, como frutado suave de azeitona, maçã e/ou figo e ainda típica sensação de doce.

Área de produção: Os Azeites do Alentejo Interior DOP são produzidos nos concelhos de Portel, Vidigueira, Cuba, Alvito, Viana do Castelo, Ferreira do Alentejo e Beja e em algumas freguesias de Aljustrel, como São João de Negrilhos e Ervidel. Algumas zonas de Castro Verde, Alcaria Ruiva, no concelho de Mértola, Torrão e Alcácer do Sal, também produzem este azeite.

História: Diz-se que antes da época romana e visigoda, os Azeites do Norte Alentejano já seriam produzidos, permanecendo durante a dominação Árabe. Gama Barros esclarece que onde a reconquista cristã se realizou mais tardiamente foi nas áreas mais importantes de produção de azeite. Na Idade Média, o azeite ocupava o primeiro lugar na condimentação dos alimentos.

Caderno de especificações (pdf)

Área geográfica

Agrupamento de produtores
UCAAI — União das Cooperativas Agrícolas do Alentejo Interior

Organismo de controlo e certificação
CERTIS - Controlo e Certificação

Plano de controlo
Plano de controlo (pdf)

Publicação jornal oficial UE
Regulamento (CE) n.º 510/2006 do Conselho - C 128/15 1.6.2006
Regulamento (CE) n.º 148/2007 da Comissão – L46/14 16.2.2007

Publicação em DR
Aviso n.º 4939/2001, de 30 de março