Produtos Tradicionais Portugueses

Produtos Tradicionais Portugueses

Mel do Alentejo DOP

Mel do Alentejo DOP

Descrição: “Mel do Alentejo DOP” é produzido por abelhas de raça local, Apis mellifera (sp. Ibérica).
Existe Mel do Alentejo DOP monofloral (Rosmaninho, Soagem, Eucalipto e Laranjeira) e multifloral.

Método de produção: O mel é obtido utilizando quadros móveis, de desenvolvimento vertical, e de apiários não inferiores a 20 unidades de produção registadas. Só serão permitidos tratamentos sanitários às colónias das colmeias produtoras do mel “Mel do Alentejo DOP”, com medicamentos devidamente homologados e aplicados com rigoroso cumprimento das instruções de fabrico. É expressamente proibido fazer qualquer tratamento sanitário às colmeias durante os períodos de produção e quando tenham alças de armazenamento de mel.
A cresta das colmeias realizar-se-á de quadros cujos favos tenham uma antiguidade inferior a 3 anos para os da câmara e a 5 anos para os das alças de produção, totalmente operculados e sem existência de crias de abelhas ou de zângões, tanto aberta como fechada.
O desabelho dos quadros deve ser feito com sistemas de jato de ar e pelo sistema de escovar as abelhas, reduzindo ao mínimo possível a utilização dos fumigadores. Os fumigadores, quando necessários, devem utilizar apenas produtos vegetais. Fica proibida a utilização de produtos químicos ou outros repelentes das abelhas, quer sejam sólidos, líquidos ou gasosos.
As operações de extração do mel realizar-se-ão com o maior esmero e higiene, em local fechado, utilizando-se unicamente o equipamento e os métodos autorizados pelo Agrupamento de Produtores, sendo proibida a extração feita ao ar livre. A desoperculação dos quadros pode ser feita pelo sistema tradicional com facas e com água a ferver, sistemas elétricos ou a vapor, sempre que estes não alterem os fatores do mel protegido. O mel será extraído unicamente pelo processo de centrifugação.
O armazenamento e o transporte do mel deve ser feito em boas condições higiénicas, utilizando só vasilhame autorizado para produtos alimentares e que garanta que a qualidade dos mesmos não se altera.

Características particulares: Mel de cor clara, cuja tonalidade é caraterística da região e decorrente da respetiva composição polínica, isto é, da flora que serve de pasto às abelhas.

Área de produção: A zona de produção dos méis a proteger para “Mel do Alentejo DOP” é constituída pelos limites dos seguintes concelhos: Alandroal, Alvito, Arraiolos, Barrancos, Beja, Borba, Cuba, Estremoz, Elvas, Évora, Ferreira do Alentejo, Fronteira, Montemor-o-Novo, Mora, Moura, Mourão, Portel, Redondo, Reguengos de Monsaraz, Serpa, Sousel, Vendas Novas, Viana do Alentejo, Vidigueira, Vila Viçosa.

História: As ordenações dos nossos primeiros reis são notáveis testemunhos dos privilégios dados sob a forma de foral aos “abelheiros”, os quais, com o mel que produziam, pagavam seus foros e faziam outras trocas comerciais. Eduardo Sequeira cita as vilas de Alandroal, Portel, redondo e Vila Viçosa como as povoações onde tradicionalmente mais se cultiva ou explora a apicultura no distrito de Évora.

Caderno de especificações (pdf)

Área geográfica

Agrupamento de produtores
MONTEMORMEL- Assoc. dos Apicultores do Concelho de Montemor-o-Novo