Produtos Tradicionais Portugueses

Produtos Tradicionais Portugueses

Aguardente de Cana

Aguardente de Cana

Descrição: Bebida alcoólica de cor clara, ou escura se se tratar de aguardente envelhecida. Possui um teor alcoólico que oscila entre 71° e 72°. É comercializada engarrafada ou a granel, principalmente para as indústrias produtoras e engarrafadoras de licores.

Região: Região Autónoma da Madeira.

Outras denominações: Rum da Madeira.

Particularidade: Bebida obtida a partir da fermentação alcoólica do sumo ou guarapa resultante da prensagem da cana sacarina.

História: No inquérito sobre a situação económica da Ilha da Madeira realizado em 1888, mencionado por J. A. Ribeiro na sua publicação A Cana-de-Açúcar na Madeira (Séculos XVIII-XX) é referido que grande quantidade de cana-de-açúcar produzida na Madeira se destinava ao fabrico de aguardente. Em 1890 é publicada uma lei que proíbe, no continente e ilhas adjacentes, o estabelecimento de fábricas de álcool e aguardente, bem como a ampliação ou modificação das existentes. O consumo de aguardente pela população local chegou a atingir grandes proporções e em 1911 é publicado um decreto, a 11 de março, que expropria as fábricas de aguardente uma vez que a produção desta bebida rondava os 1.200 mil litros.

Uso: É uma bebida de particular predilecção da população rural e operária, que a toma aos pequenos cálices, de manhã, em jejum, como «mata bicho». Esta aguardente, depois de envelhecida, rivaliza com o melhor cognac ou whisky. Constitui a base da típica Poncha da Madeira (aguardente, sumo e casca de limão, adocicado com açúcar, mel-de-cana ou mel), e é utilizada na preparação de várias bebidas e na beneficiação de licores.

Saber fazer: É obtida da fermentação alcoólica e destilação da guarapa ou sumo de cana sacarina, até se atingir um teor alcoólico que oscila entre 71º e 72°. Depois de corrigida, é comercializada. No entanto, pode ser envelhecida em tonéis de vinho velho, obtendo-se uma aguardente macia e aromática de grande qualidade.

Fonte: Produtos Tradicionais Portugueses, Lisboa, DGDR, 2001